ALERGIAS


A alergia é uma reação de hipersensibilidade a uma substância geralmente inofensiva. (saudeinformações.com.br)

Alergia é a modificada capacidade de reação que adquire o organismo, humano ou animal, por haver sofrido uma enfermidade ou por estar submetido previamente a um tratamento com substâncias estranhas ao organismo. Von Priquet (Annibal Nogueira Junior. Terapêutica Geral, Fundo editorial 2ª edição BYK – Procienx).

Conhecimentos empíricos sobre este assunto são citados desde a Grécia e a Roma antigas e Lucrécio (século I a.C.), Soranus, Heródoto, Galeno, Hipócrates fizeram citações sobre “algo” que é incompatível com determinadas substâncias. Continuar lendo

Anúncios

DEZ ALIMENTOS PARA VIVER MAIS


Conheça alguns dos alimentos que a ciência já comprovou serem capazes de prevenir doenças e a quantidade indicada para potencializar seus benefícios.

AVEIA

Ajuda a diminuir o colesterol ruim, o LDL. Ganhou o selo de redutor do risco de doenças cardíacas da FDA, agência americana de controle de alimentos e remédios. Quantidade recomendada: 40 gramas por dia de farelo ou 60 gramas da farinha.

ALHO

Reduz a pressão arterial e protege o coração ao diminuir a taxa de colesterol ruim e aumentar os níveis do colesterol bom, o HDL. Pesquisas indicam que pode ajudar na prevenção de tumores malignos.Quantidade recomendada: um dente por dia (para diminuir o colesterol e a pressão arterial).

AZEITE DE OLIVA

Auxilia na redução do LDL. Sua ingestão no lugar de margarina ou manteiga pode reduzir em até 40% o risco de doenças do coração.Quantidade recomendada: 15 mililitros por dia ou uma colher (de sopa rasa). Continuar lendo

Menopausa e Climatério


Menopausa = do grego men (mês) e paûsis (interrupção, pausa).

A menopausa é a última menstruação da mulher.

O climatério é a fase da vida em que ocorre a transição do período reprodutivo ou fértil para o não reprodutivo, devido à diminuição dos hormônios sexuais produzidos pelos ovários. É uma transição física e emocional da meia idade para a velhice.

A diminuição dos níveis hormonais é um fato que ocorre com todas as mulheres e se inicia ao redor dos 40 anos. Em algumas mulheres o ciclo menstrual cessa abruptamente, porém mais frequentemente seu desaparecimento é gradual. A perda da função de parir é ocasionada pelas alterações progressivas e irreversíveis que ocorrem nos ovários como resultado do processo de envelhecimento.

Algumas vezes, a menopausa (saiba mais aqui) transcorre sem complicações, mas em muitos casos, vem acompanhada de sintomas incômodos como fogacho, sudorese, secura vaginal, ardor, dor durante a relação sexaual, e, ainda, osteoporose (descalcificação do osso associada ao aumento do risco de fraturas).

Há problemas que podem não ser da menopausa em si, mas simplesmente do processo de envelhecimento e de outras tensões desse período de vida: insônia, fadiga, depressão, irritabilidade e esquecimento.

Muitas mulheres não sofrem os sintomas físicos ou psicológicos dessa etapa da vida.

Fontes: 1) Menopausa/Tempo de Renascimento (Ann Mankovitz), edições paulinas.

2) Wikipédia

3) Todabiologia.com

4)ABC da Saúde

Hiperatividade (Transtorno por Déficit de Atenção com Hiperatividade/TDAH)



É uma condição de base orgânica que tem por principais caracterísitcas: dificuldade em manter o foco da atenção, o controle da impulsividade, e a agitação.

Nessas pessoas, o lóbo do cérebro chamado pré-frontal (situado na parte da frente da cabeça, entre a testa e o meio do crânio), tem seu funcionamento comprometido e surgem dificuldades de concentração, memória, impulsividade.

A hipofunção do córtex pré-frontal é, portanto, a caraterísitca mais comum dos casos típicos de hiperatividade.

Segundo a classificação contida no DSM-IV, considera-se 3 grandes sub-categorias desse transtorno: desatento, hiperativo-impulsivo e combinado.

Pode afetar crianças, adolescentes e até mesmo alguns adultos.

Os sintomas podem variar de brandos a graves e podem incluir problemas de linguagem, memória e habilidades motoras, assim como, de aprendizagem e de comportamento.

Estima-se que cerca de 3% a 6% das crianças na idade escolar (mais ou menos de 6 a 12 anos de idade) apresentem hiperatividade e/ou déficit de atenção clique aqui.