PAI NOSSO (Jesus, de Nazaré)


Pai nosso…

( Porque Ele nos criou, em verdade, com a onda que, sem desprender-se, desprende-se do mar… )

Que estais no céu…

( No céu do coração. )

Santificado seja o Teu nome…

( Santificado, não só porque a lei ordena. Santificado porque nunca dorme. Santificado porque nunca fere. Santificado porque sorri ante os problemas de todos nós. )

Venha a nós Teu reino…

( O reino do nosso Pai é o da beleza visível e invisível: a que se avizinha debaixo da justiça; a que se sustém por um beijo de amor; a dos seres que jamais reclamam; a que agracia o mundo com suas colheitas; a que concede antes que os lábios se abram para rogar.)

E faça-se Tua vontade na terra e no céu…

(Fazer a vontade do Pai – sempre, a cada instante, ainda que não a entendamos – é o pequeno grande segredo para viver em paz.)

O pão nosso de cada dia dá-nos hoje…

( O Pai é sábio. Conhece cada um de seus filhos por seu nome. E dispõe de todo o necessário para que, em forma de trabalho, de sorte ou casualidade, nenhuma só de suas criaturas fique desamparada. A cobiça, a ambição e a usura não são apenas erros que praticam os seres humanos. São uma estupidez, muita própria dos que esqueceram ou nunca souberam que têm um Pai…imensamente rico.)

E perdoa as nossas dívidas.

( Sobretudo as que ninguém conhece )

E não nos deixeis cair em tentação…

( Não na tentação de violar o sábado ou as quase sempre interesseiras leis dos homens. Melhor é dizer : “não nos deixes cair na tentação de esquecer-te, Pai do céu. ” Se o pior dos erros é menosprezar ou ignorar os que nos deram a vida terrena, que classe de afronta seria renunciar ao Pai dos pais ?

Anúncios