Saúde – sobrepeso em mulheres


As mulheres, principalmente, nos dias atuais, buscam, incessantemente, perder ou ganhar peso corporal de acordo com as suas ou as “conveniências sociais”.

À época do Renascimento, as mulheres foram expostas nas telas dos gênios da pintura com seios fartos, quadris largos, coxas grossas; elas eram “cheinhas”.

Atualmente, procuram os mais diversos meios (dietas, as mais diversas, exercícios aeróbios e anaeróbios, medicamentos) para perderem peso, pois, uns “quilinhos” a mais levam à ansiedade e, por conseguinte, à inadequação emocional. Ficam irritadiças, humor flutuante, com insônia ou sono demasiado, sensação constante de estarem “diferentes” das outras mulheres.

Pior que tudo é quando começam a fazer comparativos entre os ganhos e perdas de calorias durante o dia (e isso ocorre quase que inevitàvelmente) propiciando a instalação de um quadro psicológico de transtorno obsessivo-compulsivo.

Surgiram os mais diversos tratamentos clínicos e cirúrgicos para proporcionarem maior higidez física e mental e levando as pessoas a se sentirem “em pleno bem-estar consigo e com o mundo”. Esse bem-estar é autêntico (as pessoas desejam mesmo isso ?) ou superficial (fazem porque “todo mundo faz” ?) ?

Os parâmetros de beleza são subjetivos; ninguém gosta de outra pessoa seguindo uma cartilha de preceitos e atributos prèviamente instituidos por algum ousado “conhecedor da beleza”. Lógico que cada uma pessoa deseja se sentir mais bonita para si mesma e para os outros pelos mais variados desejos.

Todavia, entre buscar a saúde física e mental de maneira “natural” e procurar alcançá-las, pura e simplesmente, para “se sentir bem” porque “todo mundo faz” existe uma distância enorme entre saúde e doença.

A boa notícia para quem não consegue equilibrar seu peso corporal com a sua vontade é que foi lançado no mercado de consumo um novo medicamento indicado como antidiabético, a liraglutida, vendido no comércio com o nome de Victoza.

Ainda não totalmente liberado como emagrecedor o produto, entretanto, “está fazendo milagre”. Vale, outrossim, relembrar o que muitas mulheres esqueceram relativo à perda de calorias diárias.

Nós, brasileiros, consumimos, em média, 2000 calorias por dia. Se reduzirmos 40% desse total (800 calorias) já estaremos perdendo peso. E para isso ocorrer basta deixarmos de ingerir o equivalente a :

. 2 pedaços de bolo de chocolate ou

. 2 pedaços de pizza quatro queijos ou

. 2 pacotes pequenos de pipoca ou

. 1 cheese bacon ou

.1 prato de feijoada ou

. 1 porção de amendoim.

Os médicos sabem do mecanismo de atuação do GLP-1, o principal hormônio associado à sensação de saciedade e à produção de insulina. Não convém salientá-lo nesse momento.

É necessário e obrigatório ressaltar que qualquer medicamento só deve ser usado quando prescrito por médico.

Anúncios

Um comentário sobre “Saúde – sobrepeso em mulheres

  1. Como varias mulheres devem pensar, eu pensei que foi pra mim… rsrsrsrsrsrs
    Mas o Sr. precisa saber que existe um outro método, o pó do chá verde. Ainda não descobri onde está sendo comercializado, mas vou descobrir… rsrs

    Muito boa matéria Dr.!!!

Os comentários estão desativados.