Conversa fiada


Boa parte de nossa vida passamos trocando confidências, compartilhando histórias com outras pessoas.

Em cidades interioranas, principalmente, conserva-se o hábito de sentar-se em cadeiras à frente das casas, em finais de tarde, para “jogar conversa fora” com vizinhos, amigos. Às vezes, os tons das conversas ficam mais picantes.

Na maioria das vezes, no entanto, o bom hábito propicia  uma “terapia” que as pessoas nem se dão conta. Aliviar tensões, dores emocionais e até físicas é um dos fatos concretos da importância de um “bom papo”.

Uma boa conversa leva a atenção das pessoas para a narrativa e desvia o foco dos sofrimentos e essas histórias possibilitam uma nova perspectiva de nossa própria condição humana. Ao compartilharmos histórias, estamos elevando nossos conhecimentos, ampliando referências e nos conhecendo melhor.

Tudo isso dentro de uma condição de higidez mental e, acima disso, de uma condição de elevação espiritual. Nos dias atuais, o bate-papo entre amigos nas salas de visitas ou à frente das moradias ganhou um novo espaço (mal utilizado, na maioria das vezes) que é a internet, apesar de ser uma relação virtual. As redes sociais permitem “encontros” entre pessoas que jamais se encontraram ao vivo.

As pessoas se sentem estimuladas a digitarem suas idéias, seus objetivos, suas necessidades, carências e o que pode ser mais perigoso, sua intimidade. Seria adequado salientar que a “grande rede” poderia permitir, pelo menos, um congraçamento maior entre os povos do nosso planeta. Troca de conhecimentos em todos os aspectos humanos é o grande desejo das pessoas que buscam uma melhoria de vida, que desejam encurtar o caminho para a felicidade.

Agradecimentos aos sites detentores das imagens.

Anúncios