O Tempo


Não só o tempo cronológico. Mas, acima de tudo, o tempo de amar. Como se houvesse, necessàriamente, tempo apropriado para se amar. Amor infantil. Amor juvenil. Amor adulto. Amor senil.

Amor é a expressão maior do ser humano. Que se busca; que se indaga; que se questiona. Como algo desejado e, muitas vezes, não encontrado o amor, repentinamente, se apresenta em um espaço inusitado, em uma situação não esperada, em circunstância inesperada.

Quantas pessoas passam pela vida à procura de alguém e morrem sem encontrar a outra metade. Vivem e convivem; dormem e acordam; sentem e suspiram. Acreditam que amam e são amados, até.

De repente, a vida se nos mostra diferente ! A vida arrebata; o tempo encurta; o sonho se torna real; as miríades de luz se tornam um grande caleidoscópio e toda a vida explode em nuances multicoloridas.

Toda uma vida  à procura da verdade. No olhar, no tocar, no sentir, no ouvir, no cheirar. Todos os sentidos aguçados. Pensamentos livres; sentimento aberto. Longo tempo. Busca incessante mas demorada. Anos e anos.

Pronto. Sem maiores delongas, acontece o inexplicável. Como dizem os poetas: amar por amar; amar sem saber o porquê; amar e ser amado.

Sempre que posso e em qualquer situação falo sobre o amor. AMOR.

Imagem : canaluminoso.blogspot.com

Anúncios