Retorno ( O ponto de transição )


Já não é mais tempo das trevas; elas passaram e o solistício de inverno nos traz o esplendor e a vitória da luz.

O movimento de retorno da luz não é provocado pela força e quando há devoção esse movimento surge de maneira natural e de forma expontânea. Assim sendo a transformação do antigo apresenta-se fácil permitindo que o velho seja descartado e o novo introduzido nesse ciclo.

A associação de pessoas que têm os mesmos ideais permite que grupos se unam em público em harmonia com o tempo descartando os propósitos particulares e egoístas.

O movimento é cíclico e o caminho se completa em si mesmo evitando precipitá-lo artificialmente. Todas as coisas vêm de modo expontâneo  e tempo oportuno.

O retorno é um ato de auto-domínio e sempre exige decisão. Isto se torna mais fácil quando uma pessoa se encontra em boa companhia. Se consegue pôr de lado o orgulho e segue o exemplo dos homens de bem, encontra boa fortuna.

Quando o movimento de retorno chega não se deve buscar refúgio em desculpas banais e sim proceder a uma introspecção e a um auto-exame.

Fonte : I CHING, O Livro das Mutaçoes, Richard Wilhelm, Editora Pensamento

Anúncios