Gestão de Recursos Humanos


continuação…

Competência técnica ou administrativa

Que se tenha em mente que ninguém é competente em termos absolutos. Um bom médico pode não ser um bom desenhista ou pode ser um excelente otorrinolaringologista mas, talvez, tenha que chamar um outro colega para ajudá-lo a fazer um parto pois não é o diploma de médico que o capacita (mesmo que o habilite) a auxiliar a mulher que vai dar à luz. (condição técnica).

Na área administrativa, a análise de desempenho e/ou de competência, se torna mais difícil pois há organizações que valorizam o “não-errar”.A administração de qualidade, todavia, deve trabalhar presumindo que ninguém melhor do que quem participa da execução de uma tarefa sabe o que é necessário para executá-la “mais e melhor”.

Conflitos

O mundo da administração é o mundo da ação e, assim sendo, o conflito, que está intrinsecamente ligado ao dia-a-dia organizacional, só pode ser considerado instalado caso haja interferência real.

Conflito presume a existência de objetivos não compartilhados ou o desejo de atingir objetivos em tempos diferentes pelos grupos “diferenciados” e a ação efetiva no sentido de qualquer um desses grupos atingir o seu objetivo e/ou impedir que outro o faça.

Administrar conflitos requer, necessàriamente, sua identificação e a descoberta de como as condições antecedentes se combinaram para chegar ao comportamento na situação específica e na tentativa de intervir no processo para que um reduzido número de pessoas envolvidas se considerem perdedoras e que essa dinâmica interfira o mínimo possível no andamento da organização.

Conflitos existirão por muito tempo cabendo aos gerentes de recursos humanos minorar seus efeitos negativos e otimizar os positivos.

Conflitos na organização

° Grupos diferenciados, atividades interdependentes, recursos compartilhados;

°Oportunidade de interferência;

° Comportamento de conflito;

° Ganha/ganha, ganha/perde, perde/perde;

Na avaliação de conflitos não se deve perder de vista que em qualquer aspecto da vida humana (dentre este a organizacional não foge à regra) podemos (e devemos) analisar os pontos positivos e negativos.

Aceitar, simplesmente, as visões belicistas daqueles qe instigam o desentendimento entre as pessoas é pernicioso à “vida” das instituições.

Anúncios