Diógenes e as lentilhas


O filósofo grego Diógenes que, se diz, vivia em um tonel, é muito conhecido por seu amor absoluto pela liberdade e pela natureza.

Um dia em que ele estava começando a fazer sua leve refeição de sopa de lentilhas, foi interpelado pelo filósofo Aristipo que, por sua vez, levava uma vida dourada, pois fazia parte da corte do rei.

Com uma ponta de desprezo, Aristipo disparou :

– Sabe, se você aprendesse a se sujeitar ao rei, não seria constrangido a se contentar com restos, como esse vulgar prato de lentilhas !

Diógenes, fulminando-o com o olhar, replicou :

– Se você tivesse aprendido a se contentar com lentilhas, teria aprendido a não se sujeitar ao rei.

Discutindo filosofia :

Diógenes nos ensina que a liberdade tem um preço. Para ser totalmente livre, não é necessário estar apegado a bens materiais, porque tudo o que possuímos, por sua vez, nos possui. Você acha que ter nada, nada desejar é um exemplo a ser seguido, ou é apenas uma história destinada a nos ensinar os riscos que existem em querer possuir coisas demais ? Que riscos seriam esses ? Que coisa você está pronto a renunciar pela sua liberdade ?

Fonte : Fábulas filosóficas, Michel Piquemal e Phillippe Lagautrière, Companhia Editora Nacional

Anúncios

Um comentário sobre “Diógenes e as lentilhas

  1. Constato em minha o lado contingente da liberdade, ou seja tem coisas da vida das quais não podemos escapar mesmo não as escolhendo um dia nós as encontramos ou as enfrentamos. Penso que a liberdade e imprescendível mas o destino também existe.

Os comentários estão desativados.