A Vaca em sua ilha


Era uma vez uma vaca que vivia em uma ilha coberta de um capim gordo e verdejante. Ela passava o dia inteiro ali, até o por-do-sol, e engordava.

Mas quando a noite negra chegava, ela não via mais os prados cobertos de erva verde. E começava a ficar inquieta. O que iria comer na manhã seguinte ? Sem sombra de dúvida, ela iria morrer de fome. E essa inquietude a fazia emagrecer a olhos vistos.

Ao amanhecer, quando o dia se levantava, ela começava novamente a comer com mais sofreguidão e a engordar. Entretanto, quando a noite voltava, a mesma angústia a invadia, deixando-a bem magra e esquelética.

” Filosofando ” :

Será que não somos todos como essa vaca ? A inquietação do amanhã nos atormenta e nos entristece. Portanto, vivamos o presente, aproveitemos das benesses da vida.

Contudo, a angústia não é também parte da condição humana ? Ela, como o estresse que gera, não é um motor de vida ? Como encontrar um equilíbrio entre uma indiferença extrema e uma angústia que não deixa viver ?

Fonte : Fábulas filosóficas, Michel Piquemal e Philippe Lagautrière, Companhia Editora Nacional
Anúncios