Tecnologias/Technologies


Sou um crítico do mau uso que as pessoas fazem da tecnologia que invadiu nossas vidas seja no lar, no trabalho, no lazer.

E há momentos em que me pergunto até onde ela se tornou benéfica ou prejudicial ao ser humano  ?

No mundo inteiro não é raro ver pessoas, nas mais inusitadas situações , se utilizando de aparelhos celulares, por exemplo. Montadas em jumentos, camelos ou em outros animais, elas fazem ou recebem ligações telefônicas, ouvem música, sabem das últimas notícias veiculadas pela imprensa mundial.

O amplo uso de aparelhos celulares e de televisão, computadores, pagers, notebooks, não permitem mais privacidade aos seus usuários, exceto, se estiverem desligados. Os aparelhos celulares não só servem para fazer e receber ligações como, também, para acessar a internet, enviar e receber e-mails e mensagens de texto, ver televisão, ouvir música, tirar fotos, usar o Sistema de Posicionamento Global (GPS).

O jornal norteamericano ” The Washington Post ” publicou uma reportagem informando que um smartphone multimídia ” tem agora mais capacidade de processamento do que tinha o Comando Norte-Americano de Defesa Aérea em 1965 “.

As estatísticas mostram que, hoje, há países que têm mais celulares do que pessoas e que quase 60%  dos usuários de celulares vivem em países em desenvolvimento.

Dizem os estudiosos sobre o assunto que os  ” principais problemas relacionados à tecnologia dos meios populares de comunicação e de mídia talvez sejam vício, distração e interrupção. Mas os mesmos aparelhos também têm o poder de fazer o bem “.

Os dados estatísticos demonstram que, atualmente, 70% dos casais que têm dois celulares ligam, diariamente, um para o outro só para dizer ” alô, tudo bem ? “; que 64% deles telefonam para marcar algum encontro ou combinar alguma coisa.

ALGO BOM PODE SE TORNAR RUIM

O Dr. Harris Stratyner, especialista em saúde mental, alerta : ” é como se o relacionamento deles dependesse de um objeto “.

Algumas pessoas consideram insuportável o fato de ficarem uma hora sem contato com alguém e para evitarem essa situação utilizam o computador, o telefone celular chegando a usar esse último aparelho por mais de 4 mil minutos (ou cerca de 66 horas) por mês.

Estudos revelam que se uma pessoa, adolescente ou adulta, torna o uso desses aparelhos sua atividade preferida é porque algo em sua vida está errado.

Não esquecendo, também, que ao passar várias horas nessa atividade a pessoa não faz exercícios físicos tornando-se sedentária e predispondo-se a desenvolver possiveis doenças graves.

Uma pesquisa constatou que 40% dos motoristas, em sua grande maioria, composta de jovens, troca mensagens de texto quando estão dirigindo veículos o que é não só perigoso como fatal, muitas vezes.

Observamos que mais e mais crianças usam celulares, computadores e outros aparelhos eletrônicos. Como ajudá-las a utilizar esses equipamentos de maneira benéfica ?

É de conhecimento de médicos neurologistas e psiquiatras, principalmente, que o uso constante e sistemático desses aparelhos pode levar a um comportamento como o de um viciado…

O cérebro recebe tantos estímulos auditivos e visuais que, em sua ausência, ” impossibilita ” a adequada utilização do tempo por essas pessoas.

Na vida atual, a maioria das crianças entra em contato com a tecnologia através da televisão que se torna a babá eletrônica em muitos lares. Os especialistas em saúde mental admitem que a exposição prematura e excessiva à televisão pode desencadear o desinteresse por exercícios físicos, criar confusão entre a realidade e a fantasia, gerar problemas emocionais e possibilitar a falta de atenção na escola.

Desligar-se da informática e de outras tecnologias ? Claro que não. Sábio é saber utilizá-las de forma saudável.

Que os pais orientem seus filhos quanto a maneira mais correta na utilização desses aparelhos. Procurem ampliar os interesses dos filhos sugerindo o aprendizado de algum instrumento musical ou o desenvolvimento de um trabalho manual, por exemplo.

Essas atividades, quando bem escolhidas, podem ajudar as crianças a desenvolverem auto-domínio, paciência, criatividade, determinação nas suas vidas futuras.

Por quê divulgar informações pessoais nos sítios de relacionamentos pela internet ? Isso é prudente,  é  sábio ? Questione isso,  discuta com seus filhos. É sadio para êles que os pais coloquem limites nessas conversações virtuais até porque ” pessoas com más intenções e predadores sexuais ” existem aos montes na internet.

É preciso disciplinar a utilização do tempo dos jovens nesses ” bate-papos ” virtuais.

Nossa juventude é bonita, saudável no físico mas precisamos ajudá-la, cada vez mais, a se tornar exuberante na mente e no espírito.

Êles, os jovens, merecem isso e nós lhes devemos a nossa participação efetiva em seu aprendizado futuro.

Precisamos dar-lhes mais amor, mais companheirismo, mais apoio e compreensão.

Anúncios