Dia de Folga


Li um poema, assim intitulado, de Paulo Victor Pontes Cavalcante, e achei pertinente escrever algo sobre o assunto.

Você já se permitiu ter um dia de ócio ? Ficar ” improdutivo “, sem buscar, constantemente, alguma coisa material para o seu ” bem-estar ” ?

Mandar tudo às favas ! Esquecer as “responsabilidades” por algum momento e permitir-se alguns minutos de desleixo, de descuido, de descomprometimento com os afazeres da vida cotidiana ?

Deixar de planejar sua vida. Lembrar que, nesta vida, nada ocorre por acaso. Será mesmo ? Renegar o fatalismo, o livre arbítrio, o destino. Será que Jesus tinha razão quando dizia : ” o melhor presente que o ser humano pode dar ao Pai é entregar-se a Êle ” ?

Fechar a mente. Esquecer a agenda. Existe computador, telefone celular, gravata, terno, bolsa, maquiagem, academia ? Não sei. Deixar o papel de que ” está tudo certo “, deixar de fingir que gosta quando, na verdade, detesta; parar de ” brigar ” pela vida.

Você já se perguntou se está feliz ? Se tem qualidade de vida ? Se seu lazer é, realmente, o que você deseja ? Ou se você só faz o que ” todo mundo faz ” ?

Não, não sei. Hoje, eu só quero desfrutar desse meu desejo de ser, sòmente, mais um na multidão. É, mas, não quero sair de casa. Quero me sentir como meu rei; quero ser a minha rainha.

Desfrutar do meu silêncio; não ligar a televisão e nem o rádio. Jornal, nem pensar, muito menos, outros equipamentos. Quero sentir o ar entrando nos pulmões, o frescor do vento que balança as árvores, assistir o pôr-do-sol, ver as estrelas no infinito e agradecer a Deus por esse merecimento.

Você tem talento, você é genial. Tem esse direito. Usufrua desse dia e renove suas energias físicas, mentais e espirituais.

Anúncios