Empatia


Diz-se, comumente, hoje, que esse têrmo significa a condição de alguém se colocar no lugar do outro.

É importante, todavia, ressaltar que os estudos científicos, na psicologia e nas neurociências, elevam essa condição para situações mais elaboradas da vida humana, principalmente, nas relações interpessoais.

O têrmo foi usado pela primeira vez, no início do século XX, pelo filósofo alemão Theodor Lipps para “indicar a relação entre o artista e o expectador que projeta a si mesmo na obra de arte”.

De forma prática, podemos afirmar que a nossa vida e a de outras pessoas poderá ser melhor (saudável) ou pior (doentia) de acôrdo com a forma com que nos relacionamos com elas. E isso serve para todas as nossas relações (afetivas e/ou profissionais).

Empatia não deve ser confundida com subserviência, bajulação, hipocrisia.Muito pelo contrário, é autenticidade. Fazer por querer.

Querer ser “simpático” para os outros? Não. Querer agradar a todos? Não. Fazer de dentro para fora, verdadeiramente. Como se faz naturalmente pelo aprendizado da educação doméstica, pelo aprendizado do amor.

Durante o nosso existir assumimos as mais diversas funções quer seja em casa ou no trabalho. Nossas relações afetam não somente nós mesmos como todas as outras pessoas que fazem parte do nosso círculo de amizade, de trabalho ou de encontros casuais.

Você tem o poder de tornar a sua vida mais fácil e dessas pessoas, também. Utilize o que você tem de melhor e verdadeiro.

Não seja tirano, seja líder. Não imponha, conquiste. Use adequadamente seu vocabulário e lembre que “quem grita não comanda, apenas manda”.

Aprenda, cada vez mais, a conjugar os verbos na primeira pessoa do plural: nós. Evite os “fofoqueiros” porque eles, na maioria das vezes, não só acabam com suas carreiras como as de outros, também.

No seu repertório deve ter mais elogios do que críticas, mais bom humor do que o contrário.

Lembre-se que a sua comunicação com outras pessoas deve ser recheada de “frases empáticas” e para ajudar, se for preciso, relacionamos algumas, abaixo:

diga: “Eu quero…” e não “Eu queria…”

quando lhe agradecerem por algum ato seu, diga: “Você faria o mesmo por mim”

se o trabalho de um seu subordinado foi bem feito, fale :”Muito relevante o seu trabalho”

se alguém lhe dá uma idéia e você não concorda com alguns detalhes não refute,  simplesmente. Diga: “Divergimos em alguns pontos mas a sua idéia é merecedora de nossa atenção”.

não diga: “Eu e você…” e sim: “Você e eu temos o que conversar”.

se alguém está passando dificuldades, faça o seguinte comentário: “Você deve estar sofrendo muito, posso imaginar”.

comece seu dia, no trabalho, cumprimentando a todos que encontrar com um “bom dia”.

Use as Palavras Mágicas!

Anúncios