A Espada de Dâmocles


Siracusa, a cidade mais rica da Sicília, era governada por um rei chamado Dionísio. Era um tirano que vivia em um palácio onde organizava festas extraordinárias ostentando riquezas e força perante seus súditos a nobreza do local.

Por ser rico (de bens materiais) e poderoso (por sua tirania) era invejado por pessoas desprovidas de virtudes e de pouca ou nenhuma elevação espiritual. Dentre essas, sobressaía-se Dâmocles, um de seus cortesãos e bajulador emérito do tirano.

Frequentemente, o “fiel” amigo dizia ao rei:

– Que sorte a sua! Tem tudo que se pode querer para viver bem. Você deve ser o homem mais feliz do mundo.

Cansado de ouvir tanta bajulação, Dionísio disse, então, ao adulador:

-Tudo bem. Como você acha que eu sou o mais rico e invejado homem do mundo, talvez, você queira trocar de lugar comigo.

Dâmocles, mesmo assustado com a proposta do rei, conseguiu seu intento, mas, precavido ressaltou:

– De acordo, porém, somente por um dia.

Dionísio, então, deu ordens à criadagem e Dâmocles foi levado à sala do trono onde lhe colocaram a coroa e as vestes reais servindo-lhe lauta refeição com as iguarias mais saborosas, os vinhos mais requintados, com música maravilhosa. Sentou-se em almofadas macias após banhado em perfumes. Sentiu-se o homem mais feliz do mundo.

Ao olhar para cima, no entanto, Dâmocles ficou lívido; o sorriso fugiu-lhe dos lábios, seus membros estremeceram e, repentinamente, esqueceu o brilho de tudo que estava ao seu redor.

– O que aconteceu, meu amigo? – perguntou Dionísio que estava sentado próximo ao trono. – Parece que perdeu o apetite e o sorriso?

– A espada acima da minha cabeça. Você não está vendo?

– Claro que sim; eu a vejo todos os dias.

Era uma espada afiada, presa ao teto, sustentada apenas por um fio de crina de cavalo acima da cabeça de Dâmocles e colocada naquela posição por ordem de Dionísio.

– Para se ter a vida que tenho e invejada por você e tantas outras pessoas paga-se um preço alto. Inveja, discórdia, mentiras, ganância, decisões erradas são causas possíveis do rompimento desse fio à minha derrocada. Os amigos, quase todos de momento, estão em volta para usufruírem benefícios.

-Está satisfeito ou quer continuar com essa vida, com esses riscos?

-Não, obrigado. Prefiro a vida que tenho e estou voltando para casa. Fique com seu trono.

Segundo o poeta latino Horácio (século 1º a.C.)

(Adaptado por Laerte Maués)

“Filosofando”:

– Aquele que quer o poder precisa aceitar suas conseqüências.

– O que atrai tanto no exercício do poder?

– Por que as pessoas ficam tão fascinadas pelo poder a ponto de sacrificarem tudo por seus encantos?

Dê sua opinião. Faça seu comentário.

Anúncios

Um comentário sobre “A Espada de Dâmocles

  1. Pesquisei no Google sobre A ESPADA DE DÁMOCLES e fui encaminado a este site. Lí esse conto quando tinha 16 anos. Hoje tenho quase 70 e pensei que não mais o encontrasse. Muito obrigado pelo serviço prestado. Eu havia meditado sobre a vida espiritual dos pastores e o Espírito Santo me fez lembrar desse conto que lí no passado.Encon-
    trei-o e , moral da História: Até pastores devem saber que todos estão sujeito a esta espada se não andarem na presença de Deus.
    edison Pr do Caminho. Muito Obrigado

Os comentários estão desativados.