O Medo


Os dicionários definem o medo como “terror; susto; pavor; receio”.
Rachel de Queiroz falava que “o medo é o mais fiel companheiro do homem, e é o medo que nos faz conhecer nossos limites e nos torna humildes.”
Segundo alguns estudiosos, o medo é uma emoção do ser humano e é resultante de uma ameaça à nossa integridade física, psicológica e social. Falam que o medo nos protege e que funciona como um aviso nos alertando dos perigos reais.
Nessa situação, o organismo recebe o estímulo e provoca reações com descargas de adrenalina; aceleração dos batimentos cardíacos (taquicardia), ereção dos pêlos, aceleração da respiração (taquipnéia), mente turva, tremores, etc.
O medo é um sentimento e, assim sendo, ele existe na nossa mente. Daí que se sente medo de aranha, de se expressar em público, do salto inesperado de um gato (principalmente preto) à sua frente, da batida repentina de uma porta em sua casa, e de tantas outras “causas” de medo. Devemos lutar ou fugir?
Mas, temos medo por quê? incerteza, insegurança, falta de fé, medo de morrer?!
Por quê ter medo do escuro? exposição?, sem nosso controle absoluto, ao perigo? Precisamos detectar suas causas. Se você está com medo e não sabe de quê, provavelmente, se sentirá, também, inquieto, “agoniado”.
Saiba que, quando o medo começa a comprometer nossas relações sociais e a causar sofrimento psíquico pode estar se transformando em uma doença, a Fobia.
“Se o homem carrega a sua própria lanterna, não precisa ter medo do escuro”. (máxima judaica).

Anúncios