Vulcões – cinturão de fogo

18 jul

O têrmo vulcão vem do latim Vulcanus, o deus romano do fogo, que era conhecido pelos gregos com o nome de Hefastos e que era representado com uma forja na mão.

O estudo científico mais intenso sobre os vulcões teve seu incremento quando o canadense Tuzo Wilson apresentou sua teoria sobre as placas tectônicas dando início à compreensão da origem e do funcionamento dos vulcões. Essa teoria, já comprovada, demonstra a existência de uma camada mais externa da crosta da Terra formada por blocos de rocha que se encaixam e que flutuam em cima de uma camada interior de material derretido, o magma.

Os vulcões que surgem nos locais onde essas placas se chocam ou se afastam expelem, em suas erupções, esse material incandescente.

Os vulcões ativos deixam rastros de destruição e morte. Basta citarmos alguns poucos exemplos como os do Vesúvio, Krakatoa (36.ooo mortos), Tambora (70.000 mortos), Nevado del Ruiz (23.ooo mortos) na Colômbia.

A Indonésia tem a maior densidade de vulcões do mundo e um dos mais perigosos do cinturão de fogo do Pacífico é o Merapi, que fica a 450 km a leste de Jacarta.

Convém salientar, também, a intensa preocupação do mundo científico com o super vulcão Yellowstone, nos Estados Unidos. Sua última erupção foi a responsável pelo aparecimento de uma pequena era glacial.

Quase todos os 500 a 600 vulcões ativos no mundo estão localizados em bordas de placas convergentes.

Segundo os estudiosos existem três tipos principais de vulcão na superfície terrestre:

° os que ocorrem nas cadeias mesoceânicas, localizadas na região central do Oceano Atlântico (que inclui as ilhas de Tristão da Cunha, São Paulo, Açores e se estende até a Islândia, já no Atlântico Norte), do Pacífico e do Índico;

° os que se estendem pelo chamado cinturão de fogo que contorna o Oceano Pacífico desde a América do Sul, chegando ao Japão e à Nova Zelândia. São consequências da colisão de placas tectônicas;

° os que ocorrem nas intraplacas cujo exemplo maior são os vulcões do Havaí.

Alguns vulcões ativos no mundo

1. Monte Santa Helena

localizado no sudoeste do Estado norteamericano de Washington a 160 quilômetros ao sul da cidade de Seattle. O topo do vulcão, de 2950 m, diminuiu 400 m após um tremor de 5.1 graus na escala Richter, em maio de 1980;

2. Popocatépetl

significa “montanha de fumaça” em asteca; está situado a 60 km a sudeste da capital do México. É o vulcão ativo mais alto do hemisfério norte cujo cume atinge 5482 metros de altitude. Nos últimos dez anos, sempre entrou em erupção no mês de dezembro e sua última erupção aconteceu em 5 de janeiro de 2008 lançando uma coluna de fumaça que atingiu 9000 metros de altura. Faz parte do cinturão de fogo;

3. Shiveluch

é o mais ativo vulcão ao norte da península de Kamchatka, na Rússia, e seu topo tem 3283 m de altitude. Nos últimos 100 anos sofreu quatro grandes explosões em 1964, 1970, 1995 e 1999;

4. Bezymianny

em russo significa “sem nome”. Situado no sudeste do extinto vulcão Kamen, na península de Kamchatka, na Rússia.

Sua maior erupção ocorreu em 1955/56 provocando um rebaixamento de 200 metros no cume;

5. Kilauea

talvez seja o mais ativo vulcão do mundo e localiza-se no Parque Nacional de Vulcões, no Havaí. A montanha entrou em erupção em 1983 e permanece em atividade registrando, pelo menos, 35 erupções nesse período de tempo (1983/2010);

6. Cotopaxi

localizada no Parque Nacional que tem o mesmo nome, na província de Pichincha, a 95 quilômetros da cidade de Quito, capital do Equador, essa montanha tem 5897 m de altitude e o vulcão ativo já registrou, desde 1738, mais de 50 erupções.

A cidade de Latacunga, com pouco mais de 100.000 habitantes e próxima à montanha, já foi destruída duas vezes pelas erupções do vulcão.

O Equador possui 53 vulcões estando 10 deles, ainda, em atividade e um dos mais temidos é o Tungurahua.

About these ads
%d blogueiros gostam disto: